Capa ilustrativa do video bilíngue, produzido pelo UNFPA Angola

Todos os anos, milhares de mulheres jovens e adolescentes, no mundo, adquirem durante o parto um problema que transforma suas vidas num permanente sofrimento físico e psiciológico, devido ao estigma que lhes fica associado e que as relega à exclusão social.

Este problema é a Fístula Obstétrica e também afecta as mulheres em Angola. 
“Fístula Obstétrica: Uma prisão Silenciosa” é o titulo do vídeo lançado pelo UNFPA Angola durante o encerramento do workshop que tratou desse tema, na Maternidade Lucrécia Paim de 17 a 21 de Novembro de 2014.

 A Dra. Kourtoum Nacro, representante do UNFPA em Angola, durante a cerimonia de encerramento do workshop, procedeu a entrega oficial do vídeo produzido pelo escritório do UNFPA em Angola em parceria com o Ministério da Saúde de Angola, a sua Excelência o Senhor Ministro da Saúde, Dr. José Vieira Dias Van-Dúnem.

 O vídeo chama a atenção para este mal que tem afectado muitas mulheres e advoga sobre as acções que podem ser tomadas para erradicar a doenca. O vídeo demonstra também a situação na qual estão sujeitas as mulheres que padecem desta enfermidade e a forma fácil em como este sofrimento pode ser terminado. O Ministro da Saúde de Angola, a Representante do UNFPA em Angola, profissionais de saúde e representantes do Governo Provincial do Uíge também participam do vídeo.

O UNFPA Angola tem sido o maior parceiro do Governo de Angola na luta para a erradicação da Fístula Obstétrica. Neste sentido, desde 2007, o UNFPA tem apoiado o Ministério da Saúde desenvolvendo acções para a redução da mortalidade materna e neonatal e para a melhoria no acesso e qualidade dos serviços de saúde sexual e reprodutiva com o apoio na formação de profissionais para tratar fístulas obstétricas e na abertura, em 2010, do Centro Nacional para o Tratamento da Fístula Obstétrica, localizado no município da Damba, província do Uíge. O UNFPA é também o maior doador de métodos contraceptivos ao Governo de Angola.

No pronunciamento de encerramento do workshop, o Ministro da Saúde agradeceu ao UNFPA pelo apoio prestado e pela parceria, sempre presente, ao Governo de Angola. O Ministro afirmou também que o video é uma amostra real daquilo que as mulheres acometidas pela doença têm passado. Acrescentou, ainda, que o vídeo expressa a posição do Governo de Angola com relação à necessidade do diagnóstico e tratamento da fístula obstétrica.

Ao fim da actividade o Ministro entregou cópias do filme aos chefes dos serviços da Maternidade Lucrécia Paim, incluindo o seu Director, e aos jornalistas presentes, exortando-os a divulgarem a mensagem contida no vídeo como mais uma medida para por fim a este mal que assola as mulheres Angolanas.

O vídeo encontra-se disponível no website do UNFPA-Angola (www.unfpa.co.ao).